Linhas Digitais

Tecnologia para o bem e para o mal | novembro 14, 2009

Por Soraia Barros

Essa semana tivemos duas notícias que mostraram a tecnologia como uma faca de dois gumes: quarta no Alinhando o Presente tivemos a história gloriosa do Cacique Almir Surui e o google, e quinta no Fora da Linha especulamos a possibilidade de controlar os nossos e os pensamentos alheios.

A história de Surui começa quando em um cibercafé ele acessa o google mapz e fica espantado ao descobrir que sua aldeia fica em uma área de desmatamento. Ao mesmo tempo, o seu primeiro contato com a internet abre seus olhos para a possibilidade de transmitir a consciência de seu povo para todo o mundo. Almir Surui entrou em contato com a ONG Equipe de Conservação da Amazônia e decidiu ir para os EUA procurar o google para mostrar o descaso do poder público com a preservação da mata. Seu engajamento teve resultados: os índios da reserva receberam computadores e até smartphones para registrar e denunciar casos de extração ilegal da madeira.

O resultado disso você pode conferir no documentário “Trocando Arcos de Flechas por Laptops” de Denise Zmekhol:

No entanto, enquanto nesse caso enxergamos com otimismo e temos a certeza que a tecnologia pode ser usada na preservação do ambiente, vimos em “Fora da Linha ” a velha história: o homem querendo ir além da sua humanidade. Nesse caso, ganhando a capacidade de controlar as suas atividades cerebrais e de seus semelhantes. Em “Um dólar pelos seus pensamentos”, tivemos uma revisão histórica (desde o período) da Guerra Fria  dessa tentativa. A União Soviética investia em estudos que desenvolvessem técnicas de controle mental. O muro de Berlim caiu, e a potência capitalista estadunidense resolveu também invstir pesado nessa linha.

Como vimos no “Fora da Linha” já existem projetos de “capacetes de pensamento” , arquitetados, provavelmente, com fins bélicos. O que causa receio, pra não dizer medo. Afinal, como o próprio autor do post disse ” a mente humana ainda é demasiadamente complexa para ser manipulada”.

Isso só faz acreditar que é papel de nós da comunicação e da comunidade científica levar a público a discussão dos estudos realizados nas diversas áreas do conhecimento, suas implicações, benefícios e riscos. O desenvolvimento tecnológico e científico está aí, e pode ser usado para o bem ou para o mal. As consequências de como serão utilizadas cada descoberta científica, vai muito além dos tubos de ensaio e paredes de um laboratório. E quem vai conviver com isso tem o direito de opinar e debater.

Boa tarde e boa leitura, blogueiro!

Linhas Digitais é uma produção dos estudantes do terceiro ano de  jornalismo pela disciplina de Novas Tecnologias. O blog está sob a coordenação da docente Rosane Borges.

Anúncios

Publicado em Editorial

Deixe um comentário »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

About author

Blog da turma 4º ano de Jornalismo matutino, da Universidade Estadual de Londrina - UEL

Pesquisar

Navegação

Categorias:

Links:

Archives:

Feeds

%d blogueiros gostam disto: